terça-feira, 13 de abril de 2010

Dor


A dor ela nos estraçalha por dentro
pra nos lembrar que ainda estamos vivos
palavras, atos machucam tanto que nos pensamos que vamos morrer...
mas isso pode até acontecer, por que pra quem vive apenas contando com os outros e nao consigo mesmo é uma fatalidade que as outras pessoas nao dão a mínima pro que você sente, pro que você pensa, pro que você realmente é.
Mas as pessoas são tao mesquinhas que so dão conta de suas próprias vontades
nunca pensam nos outros e quando pensam é pra colocar a culpa, afinal alguem tem que ser culpado né?Por nosso erros, nossas escolhas, temos que culpar alguem pra que nossa conciencia, fique tranqüila, mas nem se quer notamos que ferimos o coração de alguem.
Muitas vezes queremos tanto sermos agradados que pouco nos importa aos desejos alheios, e sim as nossas próprias vontades.
É difícil estar nesse mundo e nao sofrer nada, é difícil caminhar nessa estrada sem volta que é a vida, as lágrimas saem sem cessar nao dos olhos carnais do corpo, mas dos olhos fatais da alma.
Isso doí tanto que até a morte se torna banal.
eu queria poder olhar em seus olhos e tirar te tirar da solidão, nao é que eu nao queria te salvar mas eu me vejo na escuridão, sem volta , sem luz, sem ninguém completamente sozinha.
Quando estamos numa situação assim perdemos o valor, a dor nos consome, e tudo pra nós se torna normal, nem mesmo a dor nos incomoda, nao sou de ferro, bem que queria ser pra nao ter algo que as vezes doi tanto que preferia até morrer queria mesmo ser uma mulher de ferro pra nao ter algo que todos so seres humanos tem que é o maldito coração..
Ah mas maldito nao seria uma colocado nobre da minha parte por que ele me dá varias virtudes que eu sem ele nao teria.
Com isso quero que meu coração fique calmo,
pois ha coisas na vida que so o próprio coração pode entender, pessoa nenhuma entenderia, nem mesmo aquela que ama você.
Por que há coisa coisas em mim que nao posso descrever como bons sentimentos por que sao como o vendaval, nos quebra tanto que nao resta nada de nós pra contar.
Apenas uma sombra daquilo que um dia chamamos de seres humanos.
Isso que a dor faz, nos derrota, nos devora, pra depois nos soltar por ai sem almas, andando sem rumo, sem nem um por que, mas nao existe uma coisa pior pra doer do que palavras jogadas no sopro de lágrimas silenciosas, na escuridão de um velório de alma.

Nenhum comentário: